MESA REDONDA - EDIÇÃO 2015
ARQUIVO, MEMÓRIA E DITADURA

REFLEXÕES E PERSPECTIVAS SOBRE AS COMISSÕES DA VERDADE
UNIRIO
 

Apresentar as formas de articulação em torno dos debates sobre ditadura e democracia no Brasil atual.
Na foto evidencia-se a articulação do Coletivo Levante Popular da Juventude em torno da identificação de torturadores. Pretendemos com isso apontar as variadas práticas adotadas para a questão pelos Movimentos Sociais e Populares.
  • Expositor: Prof. João Paulo Castro – Doutor em Antropologia, Coordenador do Curso de Licenciatura em Ciências Sociais da UNIRIO. Atualmente desenvolve pesquisa sobre as narrativas referentes à ditadura militar brasileira.
  • Expositor: Prof. João Dornelles – Professor do Programa de Pós-graduação em Direito da PUC-Rio, Coordenador Geral do Núcleo de Direitos Humanos da PUC-Rio, Membro da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro (CEV-Rio)
  • Mediador: Prof. João Marcus Assis – Doutor em Sociologia, professor do Centro de Ciências Sociais e do Programa de Pós-graduação em Gestão de Documentos e Arquivos da UNIRIO. Líder do CDOC-ARREMOS.

Histórico da Mesa Redonda

O Grupo de Pesquisa Cultura Documental, Religião e Movimentos Sociais (CDOC-ARREMOS), desde 2009 desenvolve pesquisa interdisciplinar na UNIRIO. Vinculado ao Departamento de Estudos e Processos Arquivísticos e com apoio do Laboratório de História Oral, Documentação e Informação (LAHODOC), volta-se para a pesquisa e o debate sobre as articulações da Religião com manifestações sócio-políticas de articulação popular e o enfrentamento a processos de exclusão social, econômica, política, cultural e de cerceamento dos Direitos Humanos. Nesse contexto, tem-se mostrado significativamente relevante a compreensão sobre os processos informacionais via Arquivos públicos, privados, eclesiásticos e as articulações narrativas de envolvidos nesses trabalhos.

Em uma primeira edição da Mesa Redonda (2010) debatemos o posicionamento da Igreja Católica em relação à atuação de diversos movimentos sociais no período ditatorial e suas articulações políticas. Em sua segunda edição (2012), interessava debatermos condições e procedimentos de pesquisa documental sobre o período. Em meio ao estabelecimento de legislação sobre a abertura dos documentos públicos referentes àquele período e do desenvolvimento de trabalhos da Comissão da Verdade, os documentos arquivísticos tornam-se relevante material de análise histórica e sociológica sobre os procedimentos do Estado de exceção e os enfrentamentos dos movimentos sociais e agentes políticos e religiosos articulados. Memória e História, portanto, encabeçam hoje o cenário dos debates sobre o assunto.

A Edição 2013 foi realizada no contexto do Projeto de Extensão “Memória, documento e cidadania. Reflexões sobre Direitos Humanos e participação popular” e em parceria com o Programa de Pós-graduação em Gestão de Documentos e Arquivos da UNIRIO. Buscava tomar como base de discussão a organização dos Movimentos Sociais e as influências do período ditatorial para sua articulação no Brasil contemporâneo. As Expositoras apresentaram pesquisas relacionadas ao período ditatorial civil-militar no Brasil e sobre a constituição dos Movimentos Sociais. A intenção do debate era a compreensão dos efeitos do processo ditatorial sobre a organização dos movimentos sociais e populares no contexto atual do Brasil e das articulações em torno da constituição da memória, da informação e da participação cidadã. 

Na Edição 2014 - 50 anos do golpe, foi exibido e debatido o documentário Verdade 12.528, com os diretores Paula Sacchetta e Peu Robles, que contou ainda com a participação de Jorge Atílio Iulianelli, da Comissão Nacional da Verdade, e a mediação de João Marcus Assis, da UNIRIO.

O objetivo da Mesa Redonda é proporcionar, no âmbito acadêmico, um debate que articule os eixos temáticos dos arquivos, das memórias e da ditadura civil-militar. De forma especial, interessa aqui contribuir para a discussão sobre acessibilidade documental e informacional e direitos humanos no Brasil contemporâneo.

Este debate é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa Cultura Documental, Religião e Movimentos Sociais (CDOC-ARREMOS) e do Programa de Pós-graduação em Gestão de Documentos e Arquivos (PPGARQ) / UNIRIO.